A ideia era celebrar duas importantes datas para mim – o 6º aniversário da Seaventy e o meu 30º aniversário – numa grande festa com a minha família, amigos, parceiros e clientes.

Esta festa foi apenas adiada para uma data a determinar, mas dou-lhe a minha palavra que vai mesmo acontecer! Só não calhará no meu dia de aniversário, mas isso também pouco interessa. 

Já organizei dezenas e dezenas de festas de aniversário, mas confesso que não tenho grande memória de alguma delas ter sido para mim. Dizem que é defeito de profissão… 

 

Mas este ano queria que fosse diferente. 

Sempre vivi com a convicção que não iria viver muito tempo, e por várias vezes partilhava o sentimento com a minha então namorada e agora minha mulher e mãe das nossas 5 filhas, que não esperava viver até aos 30 anos.

Pode pensar que é uma convicção limitadora e horrível de se ter. Mas é exatamente o contrário. Imagine como seria a sua vida se tivesse a certeza que ia morrer nos próximos, 2, 5 ou 10 anos. 

 

No entanto, agora sei que deveria ter sido mais específico quando imaginei este dia. Porque a verdade é que estou a ter aquilo que queria: este ano o meu aniversário está a ser mesmo diferente!

 

Estou, e estamos todos, a passar por uma fase absolutamente louca que em tão pouco tempo e ainda no início, já garantiu um lugar de destaque na História da humanidade.

 É impossível ficar indiferente à miscelânia de emoções tão largamente abordada e partilhada nos noticiários, redes sociais e pelos inúmeros grupos de Whataspp. Os sentimentos positivos de solidariedade e apoio a quem está na linha da frente misturam-se com as emoções negativas de frustração e angústia por toda a impotência de quem já pouco controla a sua vida. 

 

Agora, com 30 anos feitos, posso afirmar com toda a certeza que a maior lição que já aprendi é que cada vida tem um propósito que dá sentido a tudo pelo que passamos, até isto.

Como homem, pai, empresário e coach, esta certeza é a minha fonte de energia inesgotável que se traduz numa intensa paixão de viver!

 

Não podia estar mais grato pela enorme oportunidade que eu, e todos nós, estamos a ter. 

Contra a nossa vontade e obrigados por fatores que não controlamos, pessoas e empresas já passaram por várias etapas de crescimento! Só temos de ter essa consciência para não desperdiçarmos todo o duro caminho que já fizemos nestas últimas semanas.

 

Gostaria que recordasse uma fase de transformação importante da sua vida ou da sua empresa. Por exemplo ter deixado de fumar, ter-se despedido para criar a sua empresa, ter-se divorciado…

Posso-lhe garantir que qualquer uma dessas fases de transformação e crescimento passaram por um processo de 9 passos, como os que estamos a passar agora:

 

1º – Inconsciência: há 3 meses não pensávamos sequer se estaríamos preparados para algo assim. Era algo que simplesmente não nos ocorria. Tínhamos milhares de outras coisas mais importantes para nos preocuparmos.

2º – Consciência: há pouco mais de 1 mês, começámos a pensar nisto… Uma epidemia que começou na China estava a infetar pessoas por todo o mundo e aos poucos fomos sentindo os efeitos da quebra nas várias cadeias de abastecimento e no meu caso concreto, da quebra de procura por parte dos turistas asiáticos. Nesta altura já pensávamos nos aspectos negativos que estávamos a sentir. Mas nem tudo era mau. A vida podia bem continuar no estado em que estávamos.

3º – Choque emocional: Muito rapidamente a epidemia passou para o estado de pandemia e chega ao nosso país. O medo apodera-se de nós e espalha-se mais rapidamente do que qualquer vírus. Antes de o estado suspender a economia, já ela estava suspensa em muitos setores. Esta é a altura em que sentimos o impulso emocional e somos obrigados a agir, por todas as responsabilidades que cada um de nós tem para com a saúde pública e para com quem depende diretamente das nossas ações como os nossos trabalhadores, filhos, pais e avós. 

4º – Desconstrução total: esta é sempre a fase mais dolorosa de qualquer transformação. Há quem chame de “dores de crescimento”. Temos vontade de agir, mas o caminho é mais duro do que pensamos suportar. A dor, a angústia e a frustração são os sinais que indicam que estamos perto da transformação. Todo este tempo em que não podemos estar e tocar nos nossos pais, irmãos, amigos e colegas, em que temos de tomar decisões que vão impactar negativamente a vida de quem confiou em nós, em que tudo o que tínhamos construído e era visível, desaparece. Não há convívio, as empresas foram “empurradas para o desemprego” e tudo aquilo que dávamos como sabido e garantido, afinal já não são. Chocamos de cara com as verdadeiras emoções que habilmente temos suspendido ao longo da nossa vida para não atrapalhar os nossos planos. É um momento grandioso na vida de qualquer pessoa. Devemos aproveitar para explorar e ir o mais profundo possível do nosso ser. Quanto maior for a dor, maior a garantia que não ficaremos indiferentes. É aquela discussão honesta, dura e horrível que tivemos com a nossa cara metade, é aquele momento insuportável de falta de nicotina, é aquele dia de ginásio que não suportamos mais com a balança a não fazer justiça ao nosso esforço, é aquele vazio existencial que paralisou a nossa vida ou a vida da nossa empresa. Tudo isto faz parte da vida. Só temos de aceitar e entender que a seguir pode vir uma vida melhor, simplesmente porque seremos uma versão melhor de nós mesmos. 

Se não formos fortes suficientes ou não tivermos o acompanhamento certo, então iremos desistir e todo este caminho de desconstrução e sofrimento não fez qualquer sentido. A dor passa a sofrimento e depressão. O casamento acaba em divórcio, a dieta fica para a próxima, deixar de fumar fica para uma próxima tentativa e a oportunidade para crescermos verdadeiramente fica para depois.

 

E como saímos disto?

 

Os que conseguirem, vão “odiar-se” pelo que vêem e por terem colocado a hipótese de interromper este processo, que não têm outra hipótese que não afastarem-se da sua versão anterior e construírem aquela que vai ser a sua versão melhorada. Daqui seguem-se mais 5 fases, mas garanto-lhe que quem passa por esta última fase. com esta vontade, nunca mais voltará à versão anterior. Já é uma pessoa diferente, mais consciente e melhor!

 

Não  sei se para si isto faz sentido e se estou a interpretar bem o momento em que estamos todos a passar. Mas é o que acredito verdadeiramente estar a acontecer.

Uma oportunidade única para cada um, cada empresa, cada país, ter consciência de si próprio, “odiar” a sua versão anterior e ter a vontade certa para se transformar e ser melhor. 

Infelizmente temo que a maior parte das pessoas, empresas e países ficarão pior. É pena…

 

Caso entenda em que fase estamos, e queira aproveitar para completar todo o processo, seja para a sua vida ou para a sua empresa, por favor conte comigo!

Depois de ter passado por semanas de dor, angústia e frustração, hoje dou muitas graças por ter mais tempo para ajudar mais pessoas e empresas a transformarem-se na qualidade de coach certificado.  E que oportunidade esta!

 

Cheguei ao dia de hoje, quebrei a convicção que não chegaria aos 30 anos, e agora?

 

Possivelmente vou tentar a abordagem de continuar a viver segundo o meu propósito:

Aproveitar cada dia para chegar à melhor versão de mim próprio, ajudando todos à minha volta a fazerem o mesmo, principalmente através do meu testemunho de realização pessoal como homem de família e homem do Mar e realização profissional como empresário e coach. Quero continuar a sentir-me o homem mais feliz do Mundo e quero ajudar todos à minha volta a sentirem mesmo!

 

Bernardo Castro

SEO (Smile Executive Officer)