E foi assim que a Seaventy começou…

Foi num agradável Sunset com alguns dos clientes que Bernardo Castro contou como o Arranque Especial moldou o futuro da Seaventy:
“Tem sido um ano de enorme crescimento da Seaventy a todos os níveis, mas especialmente como equipa. Temos dado corpo ao manifesto escrito na fundação da Seaventy, em março de 2014. Eu já tinha criado várias empresas e algumas foram vendidas outras acabaram por morrer. Andei algum tempo às voltas para saber o que havia de fazer à minha vida e como é que eu poderia ter uma vida com significado e impacto para os outros. Na altura, tinha a certeza que não iria criar só mais uma empresa. Só não sabia o que isso significaria.
Mas descobri rapidamente, bem no início.
E foi essa descoberta que ainda hoje alimenta o espírito Seaventy e se traduz num importante manifesto que está presente na mente de cada membro da nossa equipa e que se tem mantido inalterado desde a fundação.
Eu acredito pouco em acasos, e este é um deles.
Foi na semana do dia do Pai do ano 2014 que a Seaventy começou a ganhar forma com a organização dos primeiros eventos. Por “coincidência”, a primeira semana de operação foi intensa. Tinha um passeio romântico no dia 21 de Março, um jantar vip no dia 22 de março e 2 regatas de 18 veleiros cada no dia 23 de março. Dizia eu na altura que “não falta acontecer mais nada”.
Nesse dia do Pai, como é normal, juntámos a família toda (somos 13 irmãos) para jantar e eu fiquei até tarde a falar com o meu pai sobre esta nova empresa e sobre este início intenso. O meu pai foi oficial de Marinha, apaixonado pelo Mar e o maior responsável por eu trabalhar no Mar. Foi uma bela conversa, descontraída de um pai que vê um filho de 23 anos, pai de uma filha à espera da segunda, com uma vida nada fácil a tentar fazer alguma coisa pela sua família.
Eu que não sou nada de escrever cartas, nesse dia cheguei mais tarde ao jantar para escrever uma carta ao meu pai. Lá dizia como gostava tanto dele e como o seu exemplo de pai de família e impulsionador da economia do mar me inspirava – para além de um pedido desculpas por todo o trabalho que tinha dado e pelas preocupações que ainda lhe dava. Deixei a carta no escritório para o meu pai ler quando lá fosse. O meu pai que nunca foi de mensagens nem mesmo de palavras, enviou-me uma mensagem para o telemóvel: Já li a tua carta. Amo-te muito meu querido filho.
E foram estes os últimos episódios que tive com o meu pai, pois ele faleceu nesse mesmo dia.
Portanto, o “não falta acontecer mais nada”, não foi bem assim…

A vida não parou nem um bocadinho: com compras por fazer, passeio romântico para se fazer, velório, funeral, jantar vip e duas regatas.

Foi assim que a Seaventy começou e que descobri como é que esta empresa não iria ser mais uma. Porque a Seaventy é a memória viva do meu pai, que foi um grande homem, e que vive segundo os seus princípios em que valoriza muitíssimo a família e trabalha para que o Mar volte a dar glória ao nosso povo.

Muito obrigado a toda a minha querida equipa, pelo vosso exemplo de dedicação e a todos vós, por nos ajudarem a dar corpo a esta missão de aproximar as pessoas do Mar e desenvolver a Economia do Mar.

Desejo vos um excelente final de tarde!”

Deixe um comentário