Era uma vez um homem charmoso chamado Fernando e que era casado com uma linda mulher chamada Leonor. Da sua imensa paixão nasceram imensos  filhos (treze!). 

Fernando era um homem de convicções e valores fortes. Um homem de causas que ficou conhecido pela sua dedicação de uma vida ao Mar e à Marinha e pela sua luta incansável pela dignidade da Família.

No dia 19 de março de 2014 foi o seu último jantar do dia do Pai, pois acabou por falecer de cancro de pulmão, no dia seguinte. Faz hoje precisamente 6 anos que os filhos e a mulher viveram este dia com a consciência que seria o último jantar do dia do Pai, mas sem imaginarem que seria mesmo a sua última ceia…

A sua herança já tinha sido repartida e já os filhos a usufruiam muito antes do seu falecimento. De forma muito democrática, o Fernando deu 12 irmãos a cada filho. Mais que suficiente para cada um dos seus viver uma vida muito feliz e desafogada. 

Da paixão pela Família resultou em várias famílias numerosas com muitos dos seus filhos a terem 3 ou mais filhos. Da paixão pelo Mar, resultou que um dos filhos seguiu as suas pisadas.

Bernardo, o décimo, sempre acompanhou o seu pai no seu pequeno veleiro. Passear à vela era o hobbie favorito de Fernando que partilhava de forma especial com a sua família e amigos. Pode imaginar cruzeiros tranquilos só a ouvir a brisa do Mar… Mas não era bem assim. Fernando aproveitava estes momentos como escape ao stress e, de forma hilariante (e por vezes de forma cansativa), assumia a pele de comandante da Marinha gritando ordens a quem estivesse com ele. Ora Bernardo estava sempre com ele, logo estava sempre a ouvir. Os fim-de-semanas de Bernardo eram totalmente dedicados a acompanhar o seu pai. Fosse o que fosse, ficava para trás. Primeiro os escuteiros e a catequese aos sábados, e mais tarde os estudos. E até a namorada Rita sabia que não podia contar com grandes planos aos fins-de-semana. 

Destes momentos de cumplicidade foi crescendo a admiração e orgulho pela vida do seu Pai que tudo transbordou no dia do funeral do seu Pai. A maior igreja de Cascais foi minúscula para receber Fernando e todas as pessoas que quiseram prestar uma última homenagem. O dia que é para muitos o pior dia das suas vidas, transformou-se simultaneamente no melhor dia da vida do jovem pai Bernardo. Foi nesse dia que percebeu que o funeral é um evento que cada um prepara durante toda a sua vida.

 

Desde os 18 anos, Bernardo aventurou-se no Mar e com a sua veia empreendedora tentou de tudo um pouco. Mas nada parecia correr como gostaria.

Até que com 23 anos, já casado com a sua namorada Rita e com uma filha de 1 ano, um empreendedor muito bem sucedido na área de turismo de luxo aparece na sua vida como o mentor que lhe faltava. Nuno era um homem que em muito se assemelhava a Fernando: de convicções fortes e não suportava nem a mediania nem a injustiça. Sabendo das dificuldades que a jovem família estava a passar, rapidamente se esforçou para dar as condições que garantiram pela primeira vez a tranquilidade financeira ao Bernardo e à Rita. Foi já neste ambiente que as bases da Seaventy começaram a ser desenhadas. De um lado tinham o Fernando feliz pelo seu filho se ter orientado e do outro tinham o experiente Nuno que estava de volta ao entusiasmo do processo de criação de uma nova empresa. E que empresa! 

Muito antes do plano de negócios, plano de marketing ou projeções financeiras, a grande preocupação foi definir em poucas palavras o propósito desta futura empresa que ficou para sempre assim: “Aproximar as pessoas do Mar e desenvolver a Economia do Mar.”

Com a missão bem definida, então lançaram-se para a definição da marca. Esta fase é sempre estimulante e neste caso não foi excepção. Durante vários dias as cabeças de Bernardo e Nuno não pensavam em mais nada. As hipóteses foram às dezenas, todas elas à volta das palavras “Sea”, “Ventures”, “Adventure”, “Ocean”, “Blue”… Mas foi uma inspiração do Nuno que levou a melhor: “E que tal Seaventy? Sea de Mar com Seventy de Setenta tributo ao facto de 70% do nosso corpo e do nosso planeta serem compostos por água?” O conceito fazia todo o sentido e era inteligente. O Bernardo comprou de imediato a ideia e apressaram-se a registar a nova marca e a criar o novo logo e todo o manual de normas com a ajuda da Teresa. Teresa foi uma colega de 3º ciclo do Bernardo que sempre teve talento para o desenho e felizmente se tornou designer gráfica. Foi ela que ficou responsável por toda a imagem, incluindo o logo, panfletos, assinaturas e até do site. Com toda a liberdade e criatividade, acertou em cheio!

Tudo corria bem na relação entre o mentor e o jovem empreendedor. 

Já com tudo pronto para a promoção, o desconhecido jovem lançou-se à estrada para bater à porta das então desconhecidas agências de viagens de incoming: Citur, Limits, Portugal Travel Team, Travel Store… A sua enérgica e positiva atitude agradou a todos os que o receberam e ficou prometido que iriam dar oportunidades ao jovem empreendedor do Mar. Mas atenção que havia sempre a ressalva que a procura por eventos e alugueres de barcos era algo raro e naquele momento já trabalhavam diretamente com os principais operadores. Sem nunca perder a esperança, Bernardo continuou sempre na estrada à boleia das recomendações que ia pedindo delicadamente em cada visita. 

Breves semanas mais tarde, a Seaventy já estava a enviar bonitas propostas personalizadas e os 4 primeiros eventos surgem para os dias 20, 21 e 22 de março de 2014, respectivamente um cruzeiro em privado para um casal, um jantar de luxo para uma empresa num catamarã e duas regatas de team-building de 80 pessoas cada. 

Era véspera dos primeiros eventos e Bernardo estava mais nervoso que entusiasmado. Os nervos davam a sensação de estar assoberbado e por isso quase se mentalizou que não conseguia ir ao jantar de família no dia do Pai. Felizmente acabou por ir com a sua filha Sofia e com a sua esposa Rita que levava a Inês dentro do seu ventre. Desse jantar e dessa semana, nunca mais se vai esquecer…

Depois de 6 anos a inventar e reinventar, a Seaventy mantém mais viva que nunca o seu sentido de missão e Bernardo continua casado, mas agora com 5 lindas princesas.

 

Com pózinhos de prlim-pim-pim,

a história (ainda não) chegou ao fim…

Com pózinhos de prlim-pim-pão,

a história chegou ao nosso coração!

 

 

2014 

 

A Seaventy é criada por Nuno Tavares e Bernardo Castro com o forte apoio do seu pai Fernando Ribeiro e Castro, então secretário-geral do Fórum Empresarial da Economia do Mar. Abre atividade como operador Maritimo-Turístico para facilitar o acesso ao Mar por parte dos particulares, empresas e agências de viagens e eventos.

 

20 de março – Primeiro evento da Seaventy que coincide com a morte de Fernando Castro. Outros 3 eventos ocorrem nos dias seguintes, entre o velório e o seu funeral. 

 

Junho – Após o período de incubação no escritório no Parque das Nações, o Nuno Tavares passa a total responsabilidade da empresa para o Bernardo e Rita. 

A Rita fica como responsável pelas áreas administrativa e financeira. O Bernardo fica como responsável de tudo o resto: marketing, vendas e operação. Para ajudar nestas funções contrataram o seu bom amigo Jorge que já tinha tido a experiência de trabalhar com o Bernardo em aventuras anteriores. Trabalham os 3 em casa do casal, em Linda-a-Velha, num dos quartos transformado em escritório.

 

13 de setembro – Nasce a Inês, a segunda filha de Bernardo e Rita.

 

2015

 

Apesar das boas vendas do primeiro ano, há necessidade de fundos e entram 3 sócios investidores: Joan, Javier e Nuno (todos eles médicos e com ligação à náutica de recreio). Mais tarde, entra Pedro como 4º investidor. 

 

Deslumbrado com o dinheiro angariado, a Seaventy muda-se para um escritório e aumenta a sua equipa para 12 elementos e diversifica os negócios para áreas como a restauração e a decoração de barcos. Apesar do aumento significativo de faturação, os resultados foram muito fracos. Saiem todos os trabalhadores ficando apenas o Samuel (irmão mais novo de Bernardo), a Paula e o Jorge.

 

30 de novembro – Nasce a Helena, a terceira filha de Bernardo e Rita.

 

2016

 

Devido aos fracos resultados e incompatibilidades entre o Bernardo e o sócio Pedro, este sai da sociedade e os outros sócios aproveitam também para sair. 

 

Paula apresenta o seu grande amigo Rui ao Bernardo que não tem dúvidas que tem de o contratar, o que aconteceu poucos meses mais tarde.

Surge a oportunidade de relançar o navio Lisboa Vista do Tejo, após ter sido adquirido pela Confeitaria Nacional. 

Este acordo justifica a contratação da Cláudia que Bernardo conheceu numa das primeiras visitas a uma agência nos primeiros meses da Seaventy.

Nesse ano, a Seaventy duplica a faturação, atingindo a marca dos 500.000€, muito suportados pelo negócio do Lisboa Vista do Tejo – tanto eventos privados como operação regular de venda ao bilhete.

 

2 dezembro – Nascem as 2 filhas gémeas do Rui, Carmo e Constança, bastante prematuras. Rui fica 2 meses em casa de apoio à família.

 

6 dezembro – Nasce a Carminho, a primeira filha do futuro sócio Miguel.

 

2017 

 

O ano começa com a entrada de dois novos sócios. Bernardo e Rita conhecem Miguel e Alícia no movimento de Equipas de Nossa Senhora e rapidamente criam uma empatia especial. Ambos se tornam sócios e trabalhadores. Alícia substitui a Rita enquanto esta está de licença de maternidade e o Miguel fica como diretor de operação, após a sua experiência em vários dos melhores hotéis do mundo. 

 

Abril – Após várias anos em conversações com o ex-proprietário do Barco Evora, surge a oportunidade de a Seaventy adquirir após um encontro inesperado com um potencial investidor. Após uma breve conversa, Bernardo mostra o Barco Evora ao Sr. Rui e este demonstra logo vontade de investir e ajudar a Seaventy a adquirir. O negócio ficou fechado nesse dia com o investidor e com o antigo proprietário.

 

A Seaventy adquire o histórico Barco Evora e em apenas 1 mês faz uma intervenção que surpreende todos os que já o conheciam. Os experientes mestre João e o maquinista José transitam para a Seaventy e um pouco mais tarde chega o Daniel como estagiário que passados alguns meses torna-se marinheiro efectivo. 

 

22 de junho – Nasce a Maria do Mar, quarta filha de Bernardo e Rita.

 

Entre grandes regatas team-building, eventos no Lisboa Vista do Tejo e no Barco Evora, a Seaventy quase que duplica a faturação neste ano.

 

2018

 

O ano começa da pior maneira com um Réveillon no Barco Evora em que praticamente tudo correu mal. 

Mudou de fornecedor de catering para a “Horas Felizes” que felizmente se mantém até hoje, tal como o DJ Divenitto como parceiro de animação. 

 

O Barco Evora vai para o seu primeiro estaleiro da era Seaventy. O Miguel e toda a tripulação trabalham diariamente em condições muito duras e conhecem o navio a fundo.

 

11 de março  – Nasce a Aurora, a primeira filha de Alícia

 

O pesadelo do Réveillon tornou-se matéria para um “Case Study” estilo AESE-Business School que passou a ser utilizado no processo de recrutamento para aferir o bom senso dos candidatos, um dos apenas 2 requisitos para trabalhar na Seaventy (o outro é terem bom coração).

Francisco passa com distinção e ingressa na equipa como braço direito do Miguel.

 

A empresa entra em velocidade de cruzeiro mantendo a sua equipa estável.

 

Apesar das várias tentativas de colocar o Barco Evora a fazer operação regular de venda ao bilhete durante o verão, nenhuma delas resultou. 

 

Novembro – o Barco Evora é contratado para um trabalho especializado de transfer de militares de um porta-aviões americano que ficou fundeado ao largo do Rio Tejo para a Algés. É nesta altura que o Aléssio completa a tripulação como marinheiro efectivo, ao lado de Daniel.

 

Este trabalho dá um importante fôlego financeiro em plena época baixa e faz relançar mais uma tentativa de operação regular com o Barco Evora a começar no mês a seguir em pleno inverno.

 

Dezembro – Bernardo convence a Célia, amiga de longa data dos seus irmãos mais velhos, a entrar nesta nova tentativa. Célia é guia e torna-se a simpática anfitriã dos cruzeiros que se realizam todas as quintas, sextas e sábados no Barco Evora.

 

O ano terminou com um crescimento assinalável na qualidade dos eventos que passaram o valor médio de 4.000€, em vez dos 700€ no primeiro ano de atividade.

 

2019 

 

O número de vendas da operação regular entre Dezembro e Março são suficientemente animadores, bem como todos os feedbacks e avaliações nas várias plataformas. A Seaventy decide manter esta operação com o alto compromisso da Célia, de toda a tripulação, do Miguel e com o apoio de toda a equipa. Ao longo do ano o número de cruzeiros foi sendo reforçado atingindo o pico em julho e agosto com 20 cruzeiros por semana. 

 

11 de janeiro – Nasce a Luz, a quinta filha de Bernardo e Rita.

 

O Samuel que esteve responsável pelos alugueres dos pequenos grupos durante 4 anos, sai da empresa para abrir o seu primeiro restaurante Focus que se tornou num sucesso imediato. É aberta uma vaga para a mesma função através do habitual processo de recrutamento. João, um jovem “millennial” de apenas 21 anos destaca-se e fica com o lugar. Desde que chegou, já desempenhou praticamente todo o tipo de funções, todas elas com elevado brio e dedicação.

 

20 de março – a Seaventy celebra o seu quinto aniversário e renova a marca com novo logo, nova imagem e um novo site com a ajuda da designer e responsável de imagem, Margarida – responsável pelo “Eléctrico 28”, e pelo web developer responsável pelo site, André – responsável pela “Doublebond”.

 

17 de agosto – Nasce o Felipe, o segundo filho de Alícia.

 

4 outubro – O Francisco casa-se com a sua noiva Mariana e oferece a todos os convidados uma bonita festa no Barco Evora.

 

Após um excelente arranque do ano com um aumento médio de faturação mensal acima de 50% até setembro, o último trimestre foi assolado por condições climatéricas adversas e a Seaventy terminou com um resultado apenas um pouco acima do ano anterior. A operação regular do Barco Evora teve um peso de 10% nos resultados, ficando os restantes 90% a cargo dos eventos privados, que aumentou o seu valor médio para 5.000€ por evento.

 

2020

 

Apesar dos desanimadores resultados do ano anterior e em especial do último trimestre, a Seaventy mantém toda a sua equipa e aproveita para melhorar todos os processos durante a dispendiosa época baixa.

 

Janeiro – O Barco Evora vai para o estaleiro e faz uma reparação e remodelação profundas que representam um enorme investimento. O navio fica impecável e pronto para uma temporada de sucesso de passeios regulares e muitos eventos privados.

 

27 janeiro – Nasce a Caetana, a primeira filha de Cláudia.

 

3 de março – Nasce o António, segundo filho de Miguel.

 

20 de março – A Seaventy celebra o seu 6º aniversário em plena crise do Coronavírus ou Covid-19. É um verdadeiro dilúvio dos tempos modernos que só vai poupar as empresas que servem verdadeiramente as pessoas e a nação.

 

Com 6 anos feitos, estamos apenas a começar!

 

To be continued…

 

WhatsApp chat