5 anos de Seaventy – Sabe qual é o meu (e o seu) maior evento?

 

Um aniversário tão especial dá-me sempre para isto…

Muito obrigado por ler o meu desabafo. Se lhe fiz perder tempo, peço já desculpa.

 

Desde há 5 anos que os dias 20 de março são sempre especiais dada a sua elevada carga emocional e emotiva mista.

Se por um lado a Seaventy celebra 5 anos de existência, dos quais tanto me orgulho, por outro lado, recordo o dia da despedida do meu Pai na terra… nesse mesmo dia.

É um dia estranho que nunca sei se estou a vivê-lo da forma mais correta. Não sei se hei-de focar no aspecto alegre do dia ou se por um lado devo focar-me no luto que um dia destes traz sempre. É um dilema que tenho sempre neste dia…

Talvez pela minha personalidade naturalmente optimista, o luto é algo difícil e pouco compreendido para mim. Sei que é um processo necessário e benéfico para a nossa saúde, mas não sou bom a recorrer à profundidade das minhas verdadeiras emoções. Claramente é um dos meus maiores defeitos… E talvez por isso me defenda com a racionalização e o optimismo.

Não sei se é a melhor forma de pensar, mas eu vivo com a convicção que “todos os males vêm por bem”. À primeira vista pode fazer sentido, mas no extremo torna-se quase ridículo e a morte do meu Pai no dia do primeiro evento da Seaventy é sem dúvida um dos casos mais extremos que já vivi. Pergunte-me: “então a morte do teu Pai foi um mal que veio por bem?”

Nessa impactante semana que começou com o Dia do Pai (no dia 19 de março de 2014), eu estava bastante nervoso porque “por coincidência” a primeira semana de eventos da recém-criada Seaventy foi atipicamente intensa, ainda para mais porque estávamos em março (passados 5 anos, penso que nunca tive uma semana tão intensa de eventos em março). Tinha tantas preocupações e compras a fazer que o jantar do dia do Pai em vésperas de uma série de eventos não vinha nada a calhar.

Mas Família é Família e Pai é Pai.

O meu Pai tinha cancro do pulmão diagnosticado há 15 meses mas nessa noite estava super bem-disposto e feliz. Se entrei com pressa para sair, rapidamente mudei de ideias e ali é que eu deveria estar… a aproveitar os últimos instantes com o meu querido Pai. Dei um grande beijinho de adeus ao meu Pai, e mal sabia eu que seria o derradeiro A Deus. (Enquanto escrevo estas palavras estou a ter um momento raro de contacto com as minhas emoções… já valeu a pena sentar-me a escrever… 🙂

Seguiram-se 3 dias duros mas muito, muito impactantes. O meu Pai deu-me a oportunidade única de participar ativamente no mais belo velório e no mais impressionante funeral que alguma vez assisti e dificilmente irei assistir. Enquanto uns choravam tristeza, eu só conseguia chorar de alegria pelo enorme orgulho que sentia e sinto do meu Pai. Foram dias lindos que nem o melhor Event Planner consegue criar.

Foi nesses dias que percebi que o nosso funeral é o maior  evento que preparamos durante toda a vida, todos os dias e minutos da nossa vida.

“Se a morte do meu pai foi um mal que veio por bem?”

Nunca poderia ter aprendido a maior lição da minha vida de outra forma… Por isso acredito, sem dúvida, que a morte do meu Pai é a maior prova de que todos os males vêm por bem e que celebrá-la é o maior tributo que posso prestar a quem deu a vida para me ensinar o mais importante desta vida!

Celebramos 5 anos de Seaventy e 5 anos em que o meu Pai me deu a sua maior herança!

Saudações náuticas,

Bernardo Castro

SEO (Smile Executive Officer)

Equipa Seaventy – 5 anos